Case Study Think Beauty | Plataforma de Pesquisa de espaços de Beleza e Bem-Estar

11 de Abril de 2019
O desafio da IRIS passou pela criação de uma identidade corporativa e da criação de suportes eficientes para a sua comunicação.

Oferta de Emprego – Administrador de Sistemas (M/F) Porto

4 de Abril de 2019
A nossa equipa de sistemas está à sua espera

Mais uma conquista: Samsys no Top 5 Índice Excelência PME

6 de Março de 2019
Os prémios e reconhecimentos continuam a chegar! A Samsys está presente no Top 5 Índice de Excelência nacional, na categoria de Médias Empresas.

Como planear um disaster recovery e evitar um sistema lento

26 de Fevereiro de 2019
A Silampos resolveu os desafios que tinha nos sistemas da sua empresa: a lentidão do sistema e redundância, a parte organizacional dos vários roles e apostou em soluções de disaster recovery.

Em 2 minutos | Seja mais rápido a efetuar pesquisas no Outlook

21 de Fevereiro de 2019
Organize a sua Caixa de entrada através de pastas de pesquisa Existem 3 formas principais de poupar tempo no seu dia a dia, quando realiza pesquisas no Outlook: através da criação de pastas virtuais específicas (“As pastas de pesquisa”, da utilização de filtros e de “ações rápidas“. Assim, nas Pastas de pesquisa de atalho selecione “Nova pasta de pesquisa”. Dê um nome à sua pasta de pesquisa personalizada e, em seguida, selecione os critérios. Utilize as guias na “caixa de Critérios” da pasta de pesquisa, para especificar palavras ou frases a serem pesquisadas, como por exemplo remetentes, outras pessoas incluídas nas linhas “para” ou “Cc”, itens com categorias específicas ou qualquer pesquisa avançada, em “critérios”. Quando terminar, selecione “Ok” três vezes para criar sua pasta de pesquisa. Desafiamo-lo a pôr em prática as dicas que deixamos abaixo para poupar tempo a encontrar emails no Outlook. Dicas   1. Pastas Criar pastas por remetente ou por assunto. Sugestões de pastas a criar: Itens “Por ler”; Mensagens dos elementos da minha Equipa; Emails da Direção da empresa; Por assuntos, por exemplo “ausências”, “férias”, “orçamentos”, entre outros. 2. Filtros Gerir Correio Não Lido Se o assunto não pode ser tratado no momento, marcar como “Não Lido”. Numa oportunidade seguinte, utilizar o filtro com o mesmo nome. 3. Ações rápidas Gerir prioridades Marcar um email como “Importante”, para definir os emails prioritários. Reencaminhar emails para um determinado Departamento apenas com um clique. Esperamos tê-lo ajudado. Contamos com a sua visita nas próximas Dicas! Caso queira algum esclarecimento adicional, não hesite em contactar-nos através do formulário que se segue.

Participação em aula de sistemas integrados

20 de Fevereiro de 2019
De vez em quando aparecem-nos alguns desafios inesperados e há duas semanas enquanto estava a meio da formação XD API recebemos um pedido para participar numa aula da unidade curricular Implementação de Sistemas Integrados do 3ºano, 2º semestre do Mestrado Integrado em Engenharia e Gestão de Sistemas de Informação da Universidade do Minho. Esta unidade curricular aborda a temática dos sistemas integrados como software (ERPs, …), como integração de sistemas (SOA, …) e funciona ainda como uma unidade curricular integradora dos conhecimentos adquiridos ao longo do 1º, 2º e 1º semeste do 3ºano. Integração de sistemas de informação, nomeadamente softwares de gestão é algo que trabalhamos com muita regularidade na Samsys pelo que, mesmo não tendo nada preparado, achamos que seria interessante e importante participarmos nessa aula. A ideia era ser uma apresentação muito prática e foi com esse espírito que a tentamos preparar.Antes da apresentação desses casos tentei dar um enquadramento de como vemos, a realidade da integração de sistemas, quer no mundo em geral quer nos desafios concretos que os nossos clientes nos colocam. Para abordar inicialmente o tema da integração de sistemas usei uma ideia que, na minha opinião, captura a essência deste conceito. Essa imagem representava uma pessoa, com um conjunto de folhas, a passar essas folhas a outra pessoa. Pareceu-me que era uma boa metáfora porque, no fim de tudo, quando falamos em integração de sistemas, estamos a falar de partilhar algo (informação) que um sistema (uma das pessoas) tem com outro sistema (a outra pessoa). Claro que, como se costuma dizer, o diabo está nos detalhes, e se, conceptualmente, é mesmo só partilhar informação, quando começamos a detalhar o problema, muitas outras questões se levantam. Requisitos: Fiabilidade; Consistência; Velocidade Estratégias : Online; Batch; Ficheiros; bases de dados; webservices, … Especificações: Protocolos; Sistemas abertos / fechados Desenvolvimento: De raiz; Dentro de Produtos existentes Podemos estar a falar em pensar como vamos monitorizar todo o processo para percebermos se ele é fiável… o que vamos construir para quando acontecer um erro podermos saber dele antecipadamente e podermos resolvê-lo; Ou então perceber quais os requisitos na velocidade de integração, o que pode levar a perceber se temos que pensar num sistema de integração online ou em batch, e sendo em batch com que periodicidade e que tipo de inconsistências de dados estamos a admitir como possíveis. Depois precisamos ainda de definir ou saber quais as formas como vamos por os dois sistemas a comunicar, por troca de ficheiros, por acesso direto às bases de dados de cada um desses sistemas, através de apis ou webservices. No caso de alguns sistemas mais especificos, ainda poderá ser obrigatório saber que protocolos de comunicação têm que ser establecidos, o que pode ser mais ou menos complicado caso estejamos a falar de sistemas abertos ou fechados. E, no nosso caso, em que desenvolvemos estes sistemas, temos que perceber se vamos construir tudo de raiz, se vamos usar algum componente ou se vamos usar uma framework completa que já disponibilize este tipo

Fim do Suporte do Windows 7 – Temos a Solução.

20 de Fevereiro de 2019
A Microsoft alerta que o suporte vai acabar em 2020. A Samsys recomenda a atualização para o Windows 10

A Samsys no Ecommerce Berlin 2019

16 de Fevereiro de 2019
A Ecommerce Berlin é uma Conferência / feira sobre as diferentes áreas do comercio electrónico. Numa altura em que praticamente todos os negócios, se ainda não estão online, pelo menos já começaram a pensar nisso, isso quer dizer que vamos encontrar temas e empresas relacionados com hosting, seo, plataformas de ecommerce, diferentes abordagens e ferramentas direccionadas para e-marketing, até plataformas de shipping, pagamento ou soluções de packaging, já para não falar dos temas da moda como ai, ml, datascience, etc. Apresentações Mathias Blum – Connecting with customers in the age of assistance. A pesquisa por voz é uma das tendências atuais da web. Embora em Portugal não tenhamos propriamente os alexas e semelhantes que ajudam a tornar estes serviços mais ubíquos a verdade é que basta ver uma criança a usar uma pesquisa por voz para encontrar os seus desenhos favoritos, para perceber que esta é mais uma abordagem transformadora à forma como interagimos com máquinas. Um ponto que ainda não tinha percebido e que foi destacado é o facto de as interações começadas por voz promoverem uma resposta por parte do sistema que se espera mais indutora de ações do que a pesquisa textual, ou seja, tipicamente fazemos uma pergunta para obter algo mais do que uma resposta sim ou não ou um simples artigo da Wikipedia. A apresentação incluiu ainda a apresentação de funcionalidades do google assistance e como ele pode usar a voz, em conjunto com outras apis da google para criar novas experiências de utilização como por exemplo criar uma aplicação que começa com uma pergunta do tipo “o que vou jantar logo à noite”, que depois segue para a encomenda dos produtos necessários e acaba com as instruções para cozinhar esses alimentos. Achei interessante o facto de enfatizarem que tratando-se de um novo tipo de serviço provavelmente fará sentido pensar em formas de o aplicar também diferentes do habitual… se calhar fará mais sentido usar este serviço para alugar um carro do que para o comprar… Nuno Batista – understanding Data Science: the basis of a successful AI and Machine Learning strategy. O objetivo desta talk pareceu-me ser o desmistificar alguns conceitos e dar informação para quem gere lojas online ou outros sistemas similares poder implementar uma estratégia de data science. Achei interessante a pirâmide de necessidades no mundo data science e o foco em recolher a informação que efetivamente necessitamos, ou seja, perceber bem o que queremos explorar para depois recolher a informação que precisamos para essas análises. Interessante também alguns exemplos simples de código que mostrou e que demonstram como se pode retirar já algum valor destas análises mesmo com poucos dados. Também interessante alguns cenários de aplicação destas tecnologias, por exemplo um que pode ser interessante de experimentar e que é o de tagging automatico de imagens usando as soluções já existentes para isso (amazon, google, microsoft), para evitar ter que preencher manualmente informação de grandes catálogo. Christina Keller – Push Creative Boundaries With the Mobile Space. Mais na área da comunicação

Soluções de Impressão – Um Futuro mais Brilhante e Colorido

13 de Fevereiro de 2019
Soluções de Impressão - Um Futuro mais Brilhante e Colorido para a sua empresa.

A Samsys na MS Ignite Tour | Milano

10 de Fevereiro de 2019
Esta foi a minha primeira participação de 2019 em feiras, conferências ou formações internacionais com o objetivo de recolher e divulgar internamente novas tendências na área do desenvolvimento de software. Este evento é a versão light do MS Ignite que ocorre todos os anos nos EUA e que tem milhares de participantes e parceiros. Neste caso é bem mais pequeno, talvez <5k pessoas sendo o número de parceiros a apresentar as suas soluções menos de duas dezenas (pelo menos esta sessão de Milão) É um evento de apresentação das novidades da Microsoft em diferentes vertentes, sendo que atualmente o que está a ser comunicado é tudo o que tenha a ver com cloud, os diferentes serviços disponiveis na plataforma Azure e tudo o que anda à volta do Office 365 (Produtividade, Sharepoint, Teams,…). Este tipo de apresentações tem sempre um pouco da área comercial (mas pouco) sendo mais direccionado para quem vai implementar estas soluções, seja developers ou sysadmins. A cada momento havia umas 5 palestras a decorrer pelo que tinhamos que escolher o que queriamos ver. Eu centrei-me na área de desenvolvimento bem como um pouco de Office (na vertente de produtividade) Resumo Sobre as sessões que participei aqui fica o resumo geral. Como resumo geral diria que o caminho da Microsoft é Azure para tudo, sendo que no caso da Samsys, no que diz respeito a desenvolvimento de software, isso quer dizer App Services para fazer deploy das nossas aplicações dotnet e SQL for Azure para usar o sql como solução managed. O objetivo não é ter VMs a correr na cloud mas sim usar essas funcionalidades (app e bd) como serviço. Muito interessantes também as Azure Functions e a possibilidade de desenvolver add-ins para office 365 Informação de todas as sessões: https://aka.ms/MyMsIgniteTheTour Código de todas as sessões: https://aka.ms/msignitethetourcode Detalhe por sessão Asp.net core: from windows to linux and back Uma curiosidade, esta sessão era em italiano mas isso não aparecia no programa pelo que só quando entrei é que percebi que não era em inglês. ainda assim experimentei ficar e até não correu mal, acho que deu para perceber 2/3 do que estava a dizer o orador e o resto deu para perceber o sentido. Na apresentação focou-se nas melhorias que vão aparecer na nova versão de dotnet core 2.2 e 3.0, nomeadamente a questão de poder ter aplicações winforms. A demo principal consistiu na conversão de uma aplicação tradicional mvc para dotnet core 2.2. Claro que estas demos são sempre preparadas para tudo parecer o mais simples possível mas ainda assim foi interessante ver esse processo. Para além disso, e sendo o dotnetcore uma tecnologia cross-plataform demonstrou-se esse mesmo site a correr a partir de um raspberry pi. Neste caso o que se passou para o raspberry pi foi um docker container com essa webapp. Running machine learning experiments on inventory management Esta sessão focou a área de machine learning nomeadamente na vertente do que eles chamam Cognitive Services, dentro da área do reconhecimento de imagens.

Formação com Ricardo Peixe

8 de Fevereiro de 2019
Liderar equipas pode ser visto como uma competência nata, e todos conhecemos pessoas onde identificamos esta característica, mas, quer para esses, quer para o comum dos mortais, a aprendizagem de ferramentas e estratégias que nos ajudem a ser melhores líderes é fundamental… nem que seja só para rever ou sistematizar conhecimentos que foram adquiridos de forma empírica.(e quando digo líderes isso até pode querer dizer “simplesmente” líderes de nós próprios) Na Samsys há muitos anos que o Ruben e o Samuel perceberam que para que a Samsys mantivesse um percurso de crescimento que a permitisse estar há 21 anos de mercado, como estamos, e continuar a acrescentar valor aos seus clientes, como acredito que acrescentamos, só o iam conseguir fazer delegando muito do seu trabalho operacional diário na restante equipa Samsys. Diria que estamos agora no ano oito ou nove desta grande mudança e eu tenho o privilégio de fazer parte da equipa que, com as suas particularidades individuais, tenta levar a energia e dinamismo deles para as suas equipas, no meu caso equipa de desenvolvimento. É nesta perspetiva de melhoria contínua e da importância destas competências sociais que, há semelhança de anos anteriores, este ano temos algumas formações que nos são proporcionadas pela Samsys. Umas para toda a equipa, como a formação com o Paulo Moreira sobre Inteligência Emocional, ou com o Alexandre Monteiro sobre Micro Expressões, outras direcionadas para a equipa de liderança, como a que tivemos recentemente em Vigo com Ricardo Peixe. E acho que é importante destacar a forma como o Ricardo conseguiu criar uma ligação penso que com todos nós. Não só pela sua dinâmica na formação (muito gira e ao mesmo tempo eficaz a forma como incluía alguns apontamentos de ilusionismo que para além de criarem um momento de descontração, reforçavam o ponto que estava a ser trabalhado) mas também no restante convívio que tivemos com ele nos quase três dias que estivemos juntos (corrida matinal incluída). Abordamos vários temas e fizemos vários exercícios, que inclusivamente ajudaram também a reforçar o espírito de equipa entre todos os líderes. Ainda assim destacaria o modelo FAST e o conceito “pace and lead”. O modelo FAST é isso mesmo, um modelo, e começamos por analisar em conjunto para que serve e de que forma deve ser usado. Nomeadamente que serve para ajudar a simplificar uma realidade (mais complexa) e assim apoiar na tomada de decisões mas que, com essa simplificação, poderá, se utilizado de forma absoluta, levar-nos a ignorar as áreas cinzentas, que sempre surgem, ao pormos a realidade no nosso modelo “preto e branco”. Este é então um modelo para ajudar a identificar qual a “energia” dominante de uma pessoa, como outros modelos como por exemplo o eneagrama.O objetivo é, ao identificarmos essa energia, conseguirmos encontrar melhores formas de comunicar com essa pessoa (e comunicar é um processo bidirecional, de ouvir e falar) e nesse processo ajuda-la a tornar-se a sua melhor versão. FAST corresponde então aos diferentes tipos de pessoas identificados neste modelo: Fun, Action,

Case Study IRIS | Criação de Identidade Corporativa

7 de Fevereiro de 2019
O desafio da IRIS passou pela criação de uma identidade corporativa e da criação de suportes eficientes para a sua comunicação.