A Samsys na MS Ignite Tour | Milano

By Vitor Rodrigues 3 meses atrás

Esta foi a minha primeira participação de 2019 em feiras, conferências ou formações internacionais com o objetivo de recolher e divulgar internamente novas tendências na área do desenvolvimento de software.

Este evento é a versão light do MS Ignite que ocorre todos os anos nos EUA e que tem milhares de participantes e parceiros. Neste caso é bem mais pequeno, talvez <5k pessoas sendo o número de parceiros a apresentar as suas soluções menos de duas dezenas (pelo menos esta sessão de Milão)

É um evento de apresentação das novidades da Microsoft em diferentes vertentes, sendo que atualmente o que está a ser comunicado é tudo o que tenha a ver com cloud, os diferentes serviços disponiveis na plataforma Azure e tudo o que anda à volta do Office 365 (Produtividade, Sharepoint, Teams,…).

Este tipo de apresentações tem sempre um pouco da área comercial (mas pouco) sendo mais direccionado para quem vai implementar estas soluções, seja developers ou sysadmins. A cada momento havia umas 5 palestras a decorrer pelo que tinhamos que escolher o que queriamos ver. Eu centrei-me na área de desenvolvimento bem como um pouco de Office (na vertente de produtividade)

Resumo

Sobre as sessões que participei aqui fica o resumo geral.

Como resumo geral diria que o caminho da Microsoft é Azure para tudo, sendo que no caso da Samsys, no que diz respeito a desenvolvimento de software, isso quer dizer App Services para fazer deploy das nossas aplicações dotnet e SQL for Azure para usar o sql como solução managed. O objetivo não é ter VMs a correr na cloud mas sim usar essas funcionalidades (app e bd) como serviço. Muito interessantes também as Azure Functions e a possibilidade de desenvolver add-ins para office 365

Informação de todas as sessões: https://aka.ms/MyMsIgniteTheTour

Código de todas as sessões: https://aka.ms/msignitethetourcode

Detalhe por sessão

Asp.net core: from windows to linux and back

Uma curiosidade, esta sessão era em italiano mas isso não aparecia no programa pelo que só quando entrei é que percebi que não era em inglês. ainda assim experimentei ficar e até não correu mal, acho que deu para perceber 2/3 do que estava a dizer o orador e o resto deu para perceber o sentido.

Na apresentação focou-se nas melhorias que vão aparecer na nova versão de dotnet core 2.2 e 3.0, nomeadamente a questão de poder ter aplicações winforms. A demo principal consistiu na conversão de uma aplicação tradicional mvc para dotnet core 2.2. Claro que estas demos são sempre preparadas para tudo parecer o mais simples possível mas ainda assim foi interessante ver esse processo.

Para além disso, e sendo o dotnetcore uma tecnologia cross-plataform demonstrou-se esse mesmo site a correr a partir de um raspberry pi. Neste caso o que se passou para o raspberry pi foi um docker container com essa webapp.

Running machine learning experiments on inventory management

https://techcommunity.microsoft.com/t5/Microsoft-Ignite-The-Tour/Running-Machine-Learning-experiments-on-inventory-management/m-p/284158

Esta sessão focou a área de machine learning nomeadamente na vertente do que eles chamam Cognitive Services, dentro da área do reconhecimento de imagens. É neste tipo de funcionalidade que pelo menos no futuro próximo me parece que vai ser dificil não ter que recorrer a um dos grandes players de serviços cloud, seja microsoft seja amazon.

Investing in serverless: less servers more code

https://techcommunity.microsoft.com/t5/Microsoft-Ignite-The-Tour/Investing-in-Serverless-less-servers-more-code/m-p/284148

Depois de uma sessão muito técnica vimos uma sessão mais prática onde mais uma vez se usou um serviço para reconhecer imagens mas onde o destaque eram as durable functions. As durable functions são uma espécie de v2 das azure functions que são serviços na cloud que não têm estado e que podem ser programados por nós, sendo depois feito deploy na cloud, sendo que podem correr no seguimento de algum trigger que seja definido.

Por exemplo queremos enviar um report sempre que um stock desce abaixo de determinado valor. No caso das durable functions podemos criar mais alguma lógica que, entre chamadas, faz a persistência dos valores, ou seja em vez de ser uma função stateless passamos a poder ir buscar o estado entre chamadas. Parece muito interessante também por causa dos valores já que os primeiros muitos milhares de chamadas são gratuitos

Migrating web applications to azure

https://techcommunity.microsoft.com/t5/Microsoft-Ignite-The-Tour/Migrating-web-applications-to-Azure/m-p/284174

Esta foi a primeira sessão de um conjunto que tratava de migrar uma aplicação web de servidores on premise para serviços cloud. em todas elas houve um foco grande em, em vez de usarmos o azure como uma solução Infrastrucutre as a Service (IaaS), usarmos como Platform as a Service (PaaS), ou por outras palavras, em vez de termos VMs na Azure, usarmos os serviços geridos, seja a nivel aplicacional (para aplicações dotnet, nodejs, …) seja também para bds usando o sql service. Nesta sessão focou-se a parte aplicacional e foi demonstrado todo o processo de configuração de uma solução deste género através do portal Azure desde a criaçao do “resource group” até à configuração dos diferentes serviços

Moving your database to azure

https://techcommunity.microsoft.com/t5/Microsoft-Ignite-The-Tour/Moving-your-database-to-Azure/m-p/284149

Esta segunda sessão focou-se na parte da base de dados e todo o processo de passagem de uma base de dados sql de um servidor local para um serviço sql azure. Aqui focou-se muito também toda a questão de reduzir toda a componente de infraestrutura, desde hardware, licencimento, tempos de instalação e configuração, bem como, depois disso, o facto de estarmos sempre atualizados com os ultimos patchs e termos de raiz alguns serviços como dns e também um backup standard de dados. Falou-se ainda de uma aplicação que permite fazer o “assessement” inicial de uma base de dados para verificar se é passível de ser colocada online.

Excel Solution Palooza! Get inspired by the latest and greatest Excel..

https://techcommunity.microsoft.com/t5/Microsoft-Ignite-The-Tour/Excel-Solution-Palooza-Get-inspired-by-the-latest-and-greatest/m-p/284141

Para ver outras coisas para além do Azure fui ver uma sessão sobre o que é possivel atualmente fazer a nivel de addins para Excel e fiquei completamente maravilhado. Embora ainda não estejamos ao nivel do VBA, atualmente já é possivel fazer mesmo muita coisa com estes Office Addins. Eles são construidos em Javascript e correm igualmente no Office “normal”, office online e office for mac. As APIs existentes já permitem coisas tão interessantes como criar graficos programaticamente, inclusive criar pivot tables bem como criar funçoes que depois podem ser usadas em formulas dentro da folha de trabalho. Até para criar o tetris no excel! muito muito interessante.

Modernizing your applications with containers and serverless

https://techcommunity.microsoft.com/t5/Microsoft-Ignite-The-Tour/Modernizing-your-application-with-containers-and-Serverless/m-p/284152

Voltando ao azure fui ver uma ultima sessão sobre um novo serviço disponibilizado e que permite colocar containers diretamente na plataforma azure. embora em algumas questões seja parecido com os appservices, neste caso permite uma melhor definição de escalabilidade (por exemplo dizer até onde queremos aumentar e depois diminuir). é uma soluçao mais pensada para quem quer ter de um momento para o outro uma montanha de servidores a fazer o mesmo (tipo criar modelos para suporte a soluções de machine learning). dentro o nosso cenário habitual, web apps de negócio, a solução app service é a mais recomendada

Categoria:
  Notícias
este artigo foi partilhado 0 vezes
 0000